As árvores da Maré, as coisas que já não são mais, por Orlando

Maré, Rio de Janeiro, Brasil
A minha memória conta a história da transformação da arborização da maré ao longo dos anos, que vem cada vez mais diminuindo. Sempre me importei com o fato de quase não existirem mais árvores e espaços de lazer na Maré porque eram elementos de uma Maré que eu cresci. O cheiro de domingo à tarde, na infância, era do gramado da Linha Vermelha. Também lembro das árvores da rua onde eu moro. Eram duas, enormes, que sempre me atravessavam no caminho para a escola. Busco nessa memória entender quais são os impactos dessa transformação e quais são os motivos que tornam a Maré cada vez mais sem árvores.